quarta-feira, 21 de dezembro de 2016


SERRALHA, Chicória brava, Sonchus oleraceus



Já adquiri um maço desta verdura na feira orgânica da Água Branca. Consumi crua na salada, em omelete, no suco verde e na sopa. Dê preferência para colher as folhas e ramos mais novos. Embora nasça em calçadas, praças, jardins... não consuma essas plantas colhidas nas ruas porque estão constantemente expostas à poluição, metais pesados, vários materiais contaminantes... procure plantar em vasos, em casa ou colher em alguma horta comunitária, ao abrigo de animais de rua, longe de postos de gasolina e grandes avenidas.
Segundo Valdely Kinupp no livro Panc, pode-se consumir as flores e botões à milanesa. A Serralha possui proteína, lipídios, carboidratos, cálcio, magnésio, fósforo, sódio, potássio, betacaroteno, luteína e violaxantina. Os carotenoides (pigmentos dos vegetais) como o betacaroteno, a luteína e violaxantina são antioxidantes, protegendo a pele do sol e evita o seu envelhecimento. A luteína também é chamada de vitamina do olho e ajuda a evitar a degeneração macular e a catarata.
Na medicina popular é usada para problemas hepáticos e biliares e usado externamente como cicatrizante (Harri Lorenzi/F.J.Abreu Matos em Plantas Medicinais no Brasil).
Serralha, Sonchus oleraceus no Jardim Siciliano, ago/16

Serralha nos canteiros da Praça Vitor Civita, ago/16

Nenhum comentário:

Postar um comentário