sexta-feira, 1 de julho de 2016



PARIPAROBA, caapeba

A primeira vez que tive contato com essa planta foi no ano passado na ocasião de um mutirão do lago na aldeia Itakupe no Jaraguá. O cacique Ari me mostrou a planta e disse que ela é usada para males do fígado. A pariparoba, Pipper Umbellatum, é uma linda planta com folhas grandes, quase redondas, em formato de coração.


Pariparoba na aldeia guarani Tekoa Itakupe no Jaraguá, abr/2016


Logo depois percebi alguns espécimes do lado de fora da Horta das Corujas na Vila Madalena. Colhi algumas mudas para plantarmos na recém-criada agrofloresta na Vila Itororó, criada em outubro do ano passado... Essa agrofloresta foi toda desmontada, após 4 meses, mas essa é uma outra e longa história.

Logo depois vi com espanto um espécime nascendo em uma fresta na calçada na rua Simão Álvares em Pinheiros, depois encontrei outro no Sesc Interlagos e mais recentemente descobri que no Butantã nasce espontaneamente nos quintais e vi até nas frestas de calçadas no Morro do Querosene.




A pariparoba nascendo nas frestas de calçada no Morro do Querosene,  Butantã, jun/2016



A caapeba, da família das piperáceas tem um sabor, alguns dizem mentolados, outros picantes, e eu não achei nem um nem outro, achei um sabor meio aromático e forte. Refoguei algumas folhas como se fosse fazer refogado de couve na casa da Geni,  na aldeia Itakupe no ano passado e todos que provaram, aprovaram. Embora eu mesma tenha achado o sabor um tanto desagradável.

Para oficina de identificação de pancs na horta das Corujas, decidi fazer um patê com ricota e 5 fohas pequenas refogadas em alho e cebola, tudo batido no liquidificador... sabendo do sabor forte, coloquei uma ricota inteira, ficou gostoso, suave. O patê foi aprovado.

Porém li recentemente que não se deve exagerar no consumo, podendo causar sintomas de mal estar como náusea, vômitos, diarreia, etc e em casos mais extremos, paralisia. Soube também que em pesquisas feitas pela USP, descobriu-se que a raiz tem ação protetora sobre a pele.















7 comentários:

  1. Adorei,tive oportunidade de degustar este pate, realmente muito bom.,Como tudo que você faz!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. muito agradecida... Ela deve ser usada mais como condimento por seu sabor forte. Mas no domingo fiz um refogado no sítio de minha amiga Ana do mel e o sabor estava muito mais suave, servi sobre um biscoito, estava uma delícia temperado com alho e ervas finas.

      Excluir
  2. Adorei,tive oportunidade de degustar este pate, realmente muito bom.,Como tudo que você faz!!!!

    ResponderExcluir
  3. Essa planta é ótima não só para problemas do fígado mas do estômago também. Quando tive gastrite era o único medicamento que aliviava a dor, muito melhor que os alopáticos. Tem na casa dos meus pais e usamos desde quando eu era criança. Bj.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi Rô, que legal... o seu Paulo das Ervas, de Salesópolis disse que também é bom pra combater a bactéria H Pylori... seus pais devem conhecer muito de plantas medicinais, né?

      Excluir
  4. Essa planta é ótima não só para problemas do fígado mas do estômago também. Quando tive gastrite era o único medicamento que aliviava a dor, muito melhor que os alopáticos. Tem na casa dos meus pais e usamos desde quando eu era criança. Bj.

    ResponderExcluir
  5. Bacana conhecer um pouquinho sobre a pariparoba,uma planta linda.
    Já provei o chá,é bom.

    ResponderExcluir